Sala de Treinos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sala de Treinos

Mensagem por Gabriel V. Stark em Sab Jun 23, 2012 5:24 pm


Sala de Treinos


Saudações, Convidado. Bem-vindo à Sala de Treinos da SHIELD.

Aqui, os heróis da corporação podem efetuar seus treinos, seja com poderes ou com armas. A sala é equipada com robôs e diversas armas, e é bem iluminada. Diversos jovens são vistos por ali, treinando, buscando o poder. Um avaliador está sempre por ali para verificar o andamento dos heróis. Faça um treino e ganhe levels!
avatar
Gabriel V. Stark

Mensagens : 493
Localização : Atrás de você
Data de inscrição : 18/07/2011
Grupo :
  • New Avengers


Ficha de Personagem
Poderes:
Level: 87
Arsenal:

http://theavengers-x.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala de Treinos

Mensagem por Stanley L. Fuhr em Sex Dez 07, 2012 2:12 am

Mesmo além do meu alcance, minha mente continuava em algum lugar próximo de tudo. A minha consciência rodeava os lugares que eu visitava, batia em árvores, sentia o gosto de sangue. Meu olhos variavam de tamanho, distância, cor, número, e eu continuava transformando. Aconteceu de novo, após tanto tempo: o controle fugiu do meu poder.

Ainda conseguia ver bem o que estava ao meu redor no início. Era neve, neve branca, aos montes, caindo das árvores, do céu, da terra, das casas, das montanhas, das pessoas, de gigantes, de tudo. Flocos grandes, um pouco azulados, as vezes vermelhos, as vezes puros, brancos. Normalmente elas não atingiriam um grande urso, mas estava assustado demais.

Estava fazendo uma missão pra SHIELD, disso lembrava bem. Havia algumas pessoas, um avião de carga ou um helicóptero, e um ou dois companheiros. Havia também uma caverna, não era? Ou era uma barreira invisível, alguma coisa assim. Precisavamos passar de um limite, pegar algumas pessoas e uns objetos, fazer uma pesquisa, algo assim. Entretanto, algo saiu errado. Muitas pessoas, muita pressão, e o meu poder saiu junto. E no fim, tudo ficou branco. Até mesmo eu.

Algumas pessoas citam que a raça perfeita, aquela que está no topo da escala social - o conceito de eugenia, não é? - seria uma raça não pura, mas misturada com a divindade que nos cerca. Algumas pessoas que fazem uso da meditação diziam que as vezes se faziam sentir parte de um todo muito maior do que eles mesmo. Eu entendo. Eu era neve, pura e simples neve. E isso durou por algum tempo, talvez anos, não sei dizer. Mas do nada algumas pessoas pisaram na minha extensão, eu estava derretendo e voltei a forma humana - ou algo parecido com isso.

Não por muito tempo, claro. Dores de cabeça enlouquecedoras tomavam conta de todo o meu eu, e então sai de tudo, deixei perder o controle. Porém tudo isso eram simples brasas, nada importante agora.


- Bora meter isso aí, então. - Um bastão de madeira, de mais ou menos 80 cm, distoava e cortava o ar com um zumbido entorpecente. - Vamos cair pra dentro.

Um desses dias, acredite você, acordei em um chuveiro dentro do prédio da instituição. Algumas pessoas me rodeavam, havia um pouco de sangue e um pouco mais de pelo escorrendo por um ralo, um grande corte circundava meu corpo na altura do abdomen, minha cabeça latejava alucinadamente e uma luz vinha do corredor. Depois foram alguns dias para dormir, me recuperar e aqui estava eu, no primeiro treino após tudo. Foda. Terceira vez na vida isso.

E o pior era ver esses guris, molecões do caralho, todos tomando conta. Os outros que tomavam conta da corporação, que treinavam o corpo a corpo com 2 toneladas... Desapareceram. Ou eu estava em uma parte especial, ou eles estavam em uma parte especial, ou a shield decaira. Simples assim.


- Desce, então.

Esse era um treino, sim, de corpo a corpo. Embora meu corpo tivesse em forma, queria fazer um check up, me acostumar com essas coisas de novo. Antes de tentar me metamorfar de novo, seria assim que ia acontecer.

O primeiro pedaço de metal com forma humana veio de trás, com um bastão de ferro na mão. Antes que tentasse me acertar, levou uma tacada na cara - e acredite você, eu estava de costas -. Foi um movimento involuntário, de defesa automática. Infelizmente não aconteceu de novo com o que veio de cima e lançou-me contra a parede com uma bastãozada no meio das costas.

Estava vestido com uma roupa de testes que me deram e não pude sentir o aço frio contra a minha pele, nem nada do tipo. Pra ser sincero, a minha sensibilidade já desaparecera há um tempo - antes de tudo isso que aconteceu. Não faria a menor diferença.

Levantei-me com o bastão de apoio, girei com ele e lancei na cabeça do robô. Ele desviou facilmente, como esperava; só não foi capaz de desviar da rasteira que veio a seguir. De tamanho igual ao de um humano, era fácil de derrubar. Rolei para o lado do bastão, peguei-o e usei para esmagar o pescoço do objeto de treino. Foi um golpe seco, rude, quase como se fosse predestinado.


- Ainda com a mesma bichisse de sempre. - A acústica do lugar era incrivelmente ruim. - Humano que é bom, não pega.

- E depois o bicha sou eu, que prefiro não ficar apertando no corpo dos outros por aí, né porra. - Reconheci a voz na hora. Era uma espécie de instrutor-técnico-fiscalizador-avaliador que estava cuidando de mim na ultima vez. Não era nada sagaz, tampouco aguentaria no pau comigo, mas... Era ele. Era pago para me treinar. - Vem pro x1, então.

E dessa vez, foi o que ele realmente fez. Tirou uma katana do meio do nada e, descendo da plataforma de cima, tentou atingir minha cabeça. Usei o bastão para que fincasse a pequena arma branca na carapaça da arma, mas na verdade ela se partiu como um galho. Não era feita de nenhum metal.

- Bons reflexos. Tente isso agora.

Apertando um botão de um controle, ele desligou todas as luzes do pequeno pavilhão que estávamos. Escuridão nunca foi um problema, só que o choque que aquilo fez, a luz sumindo, a falta da luz tomando conta dos meus olhos, os movimentos rápidos que alguma coisa começou a fazer ao redor... Minha cabeça entrou em colapso. Apenas cai no chão com um dos joelhos, segurando o bastão sobre o ombro para evitar qualquer aproximação.

- Como imaginei. - Foi a resposta vinda do além, antes das luzes voltarem a acender de uma vez. E aquilo foi o ápice; minha mente explodiu em cinco ou seis batidas e depois desligou. Bati no chão de uma forma assustadoramente estranha, e, por mais incrivel que pareça, esse impacto me fez acordar. - Ajudem, rápido!

Acenei que não precisava, entretanto já não valia a pena. Dois garotos me ajudaram a ficar sentado, e depois me levaram a uma outra salinha.

- Longo caminho a percorrer. - O homem loiro, de altura média e de 30 e poucos anos (de idade, claro. Mentalmente não passava dos 10) proferiu, ao trazer-me um copo de algum líquido esquisito. - Não acha?

Meneei a cabeça, aceitando. Era um treino forçado, não era para nem estar ali, mas eu precisava treinar minha mente e meu corpo. Preciso, na verdade. Preciso me tornar alguém capaz de controlar a sina que me persegue e persegue outros, também. Preciso de poder o suficiente para poder aproveitar de tudo que era capaz.

Sentir-se parte de uma coisa maior era alucinante. Sentir o prazer de ser poderoso, ser mais que os outros... Só incrível.
Já tinha o meu plano pras férias de verão.
avatar
Stanley L. Fuhr

Mensagens : 38
Data de inscrição : 02/07/2012
Grupo :
  • Generation X


Ficha de Personagem
Poderes:
Level: 7
Arsenal:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala de Treinos

Mensagem por Henry D. Sullivan em Sex Dez 07, 2012 2:21 am

Stanley L. Fuhr
Gostei muito, mas a fonte que você escolheu deixou a postagem mais descontraída do que deveria. Na próxima arruma uma mais sólida que vai melhorar (pelo menos nos meus conceitos)

Exp: 80 pontos
avatar
Henry D. Sullivan


Mensagens : 27
Data de inscrição : 14/02/2012

Ficha de Personagem
Poderes:
Level: 107
Arsenal:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala de Treinos

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum